25
Ago 16

Cada vez me sinto mais de outro planeta.

Cada vez que se abre um jornal, se ouve as noticias na rádio ou se ver um telejornal, é raro o dia em que não se faz referência a violência onde estão envolvidos jovens.

Quando vejo actos de racismos, só porque o outro é da cor Y ou pertence á religião XPTO...

Quando vejo jovens de 17/18 anos a serem tratados na pediatria como se fossem criancinhas indefesas que apareceram com mais álcool no sangue do que sangue no álcool.

.Quando vejo jovens a maltratarem os mais velhos, só porque os contrariaram.

Quando vejo noticias como esta http://www.dn.pt/sociedade/interior/um-terco-dos-rapazes-acha-legitima-a-violencia-sexual-no-namoro-5026222.html

Quando vejo crianças a serem malcriadas e responderem mal ao professores (antigamente professor tinha tanta importância na sociedade como o médico e o sr dr juiz, agora é quase tratado como trapo do chão) e a terem os "améns" dos pais....

Tudo isto e muito mais, só me leva a querer numa coisa: nós pais temos parte de culpa.

Porque é que digo que temos parte de culpa?

Porque a outra parte está associada á personalidade deles...

Não sou psicóloga, não socióloga nem outros "ologas" que existam e possam estudar estes "eventos".

Sou uma mãe, já fui auxiliar de acção educativa e sou cidadã.

Revolta-me ver mãezinhas passarem a mão pelo cabelo do filho depois da professora dizer que o filho fez isto ou aquilo.

Ou ouvir mães a queixarem-se que não têm dinheiro para coisas básicas de casa e depois ver os filhos "emborrachados" e ainda ouvir "ora são jovens têm de se divertir..."

Para mim há um vazio de valores nesta juventude que arrepia. Roubar é normal? Violência é normal? Maltratar é normal?

A juventude não pode ser desculpa para, pelo menos nós pais, não castigarmos os nossos filhos e responsabilizarmos pelos seus actos.

Sim é verdade que eles têm de dar "cabeçadas" na vida para crescer. Mas para mim "cabeçadas" são uma coisa, violência, roubar e outras coisas do género não o são.

Quantos pais não há, que tentam tudo para "encaminhar" os filhos e eles nada? 

 

O meu filho (com 6 anos) este ano partiu um vidro da escola com o guarda chuva porque escorregou.

Foi azar? Claro que foi, mas partiu-se o porquinho e "pagou" o vidro.

Porque é que disse "pagou", porque não pagou na realidade. A situação passou-se em frente de vários adultos e todos disseram que ele escorregou. E quem pagou foi o seguro. Mas o que lhe quis transmitir é que mesmo quando acontece alguns "azares" temos de assumir as consequências. Apesar de ele não ter culpa devia ajudar a pagar o vidro. Ele entregou as moedinhas do porco á professora (que depois ás escondidas devolveu) e disse que era para ajudar a pagar o vidro. Houve pais que acharam que a minha atitude tinha sido exagerada e isto e aquilo.

Não me arrependo e volto a fazer se algo do género acontecer.

Qual foi o resultado disto tudo? Algo engraçado... O meu filho agora quando lhe dão dinheiro (nem que seja um simples cêntimo) vai guardar no porco para se voltar a precisar já ter dinheiro!!!! Agora quer ir "trabalhar" com o pai na horta para ganhar dinheiro. Quer montar uma banca á porta de casa para vender limonada (influencias americanas dos filmes só pode). Assim ganha dinheiro que é para quando for grande, construir uma casa e para os pais não irem para o lar!!!!!!!! Influência do que se passou na escola? Não sei mas coincidiu com essa altura.

Acho que a juventude de hoje não está muito habituada a ser responsabilizada pelas suas atitudes. Não quero filhos santos, quero filhos que façam asneiras mas tenham responsabilidade e a humildade de assumir os seus erros. Quero mostrar aos meus filhos que ser responsável não é ser fraco, ou mariquinhas.

Se eles vão assimilar? Espero que sim. Se isso não acontecer? Pelo menos tentei.

Vícios não vou sustentar. Não sustentaram os meus e não morri por isso. Pelo contrario vez-me crescer. Fazer um filho assumir as responsabilidades dos seus actos não é estar a virar-lhe as costas. É tentarmos que sejam homenzinhos e mulherzinhas.

Filho meu se faltar ao respeito seja a quem for, vai ficar de castigo. Oh se vai... Sou militarista? Que seja. Cá em casa há regras e valores. Não somos perfeitos nem nada que pareça. Mas damos o nosso melhor, como todos os pais. Mas acho que temos a obrigação de tentar todos em conjunto (família, escola, sociedade em geral) melhorar esta situação que não sei onde vai parar...

Nós cá em casa estamos a fazer aquilo que achamos que é melhor para os nossos filhos perante as personalidades deles.

Tenho a certeza que desse lado também há a tentativa e a esperança de estarem a fazer o melhor.

Porque é que os miúdos não vem com manual de instruções? Ajudava tanto...

 

 

 

 

publicado por donadecasadesempregada às 09:30

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Agosto 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

23
24
27

28
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO